Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser! Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

13 de maio: Dia Nacional do Zootecnista

Publicado: Sexta, 13 Mai 2022 08:00 | Última Atualização: Terça, 10 Mai 2022 15:08

Neste 13 de maio, além da abolição da escravatura, celebra-se no Brasil o Dia Nacional do Zootecnista. A lei que oficializou a comemoração foi sancionada em 2018 pelo então presidente Michel Temer.
A data alude ao início das atividades do primeiro curso superior do gênero no País, implantado no ano de 1966 em Uruguaiana (RS).
Na Universidade Federal de Roraima, o curso de Zootecnia foi criado em 6 de maio de 2005, por meio da Resolução nº 009/2005 do Conselho Universitário. As atividades tiveram início em agosto de 2006.
O curso conta atualmente com 12 docentes efetivos e 1 substituto. São 131 discentes vinculados neste semestre e 73 profissionais já formados.
A Coordenadoria de Comunicação da UFRR convidou professores, alunos e ex-alunos para refletirem sobre a carreira e seus desafios:

Pela sustentabilidade ambiental

Já há alguns anos o estado de Roraima vem apresentando crescimento do PIB acima da média nacional e este fator se deve, principalmente, ao expressivo crescimento de seu agronegócio. É exatamente este o principal setor de atuação do profissional formado em Zootecnia, mais especificamente nos segmentos ligados às cadeias de produtos de origem animal.
A Zootecnia é a arte ou a ciência que trata da criação dos animais em todos os seus ramos e aspectos, e tem como pilares a nutrição, a genética, o manejo, a ambiência e sanidade para realizar a adequada criação dos mesmos. Portanto, primeiramente, quem deseja seguir carreira nessa profissão deve, acima de tudo, gostar muito de animais e respeitá-los, desde o seu nascimento até o momento em que eles se tornam a fonte mais nobre de proteína para o ser o humano, a carne. Para isso, é necessário que a carreira forme profissionais que, além de serem capazes de zelar pelo bem-estar dos animais e a sustentabilidade ao longo da cadeia produtiva, também sejam capazes de lidar com aspectos administrativos de empresas voltadas para o agronegócio, buscando sempre incorporar as novas tecnologias disponíveis dentro do processo produtivo.
A Zootecnia é uma profissão que ao longo do tempo vem se moldando às demandas da sociedade para buscar atender a todas as suas necessidades ligadas ao uso dos animais domésticos para alimentação, esportes e companhia. Portanto, é necessário que os cursos de graduação em Zootecnia do Brasil sejam bastante dinâmicos, buscando sempre incorporar em suas matrizes curriculares novos conteúdos necessários para que o egresso possa atender, de forma plena, os anseios de uma população cada vez mais preocupada com as condições nas quais o animal foi criado, com a sustentabilidade ambiental da criação dos animais e com as características nutricionais dos alimentos que consome.

Jalison Lopes - Zootecnista, professor de Bovinocultura do curso de Zootecnia da UFRR e atual chefe do Departamento de Zootecnia.

 Desafios necessários para testar limites

Cursar Zootecnia é uma mistura de emoções. A cada dia se vive uma experiência diferente e, para quem realmente gosta, tem uma frase que sempre carrego comigo: não despreze os pequenos começos, pois um dia eles te farão grande.
Não é um curso de acomodação. No meio da pandemia senti isso na pele. Procurei participar do Núcleo de Estudos de Tecnologia para o Agronegócio da Bovinocultura (Netab) e do Pet–Zootecnia, ambos coordenados pelo professor Jalison Lopes. Vivenciamos na prática os desafios de sermos zootecnistas e poder contribuir para a melhoria do bem-estar animal, tendo um contato direto com os animais, muitas das vezes com os produtores e assim terminar o dia com a sensação de missão cumprida.
Mas há também os desafios que não são poucos e que levam muitos a desistir, como o de ser um curso integral e termos que nos dedicar praticamente 24 horas a estudar. Assim não conseguimos trabalhar e ter uma renda, como no caso da maioria que vem do Interior para estudar e acaba sendo totalmente dependente dos pais, como eu. Ficamos na esperança de conseguir bolsas e auxílios da UFRR, que ajudam muito a nos manter e continuar para pegar o tão sonhado diploma. A jornada não é fácil, mas, muitas das vezes, os desafios são necessários para nos mostrar que conseguimos ir além dos nossos limites.
Atualmente me encontro no 7° semestre e a expectativa é sempre poder aplicar na prática aquilo que aprendo na sala de aula. Por isso o retorno das aulas presencias se tornou tão importante, pois nosso curso necessita das práticas, da realidade do campo. Principalmente neste momento se torna crucial. Neste período se começa a estudar separadamente e descobrir as particularidades das áreas abrangentes da Zootecnia e de cada categoria animal específica. Para muitos este momento funciona como um mapa que aponta para qual área dentro da produção animal se deve seguir. Para outros, só confirma aquilo que já têm certeza. Você descobre para onde ir quando seu coração grita mais forte. Quando você faz o que gosta isso se torna liberdade e gostar do que você faz é felicidade e não uma obrigação. Não é fácil abrir mão de muita coisa para aprender, para defender o agro e, acima de tudo, saber lidar com pessoas.
O agro em Roraima tem se desenvolvido muito, necessitando a cada dia que passa de pessoas qualificadas no setor. Tenho certeza que ao me formar quero ser uma profissional que honra o juramento e faz o trabalho de zootecnista com excelência e dedicação, com constante evolução de aprendizado e experiências. É sobre saber a importância de oferecer um produto de qualidade na mesa dos consumidores, pois atuamos em todo setores da cadeia produtiva de produtos de origem animal, desde o manejo até o consumo do produto final. Isso se torna uma responsabilidade muito grande, conquistando a confiança de cada pessoa para assim continuar buscando o desenvolvimento do nosso agronegócio. Então a dica é não esperar para fazer depois de formado o que você pode fazer agora, durante a graduação, que é absorver o máximo de conhecimento possível.
Aos que estão no início desta jornada: não desistam, mas sim persistam. Vocês verão que vale a pena e o quão gostoso é se trabalhar com que se gosta. Aproveitem as oportunidades e vivam intensamente tudo que a graduação lhes permitir, desde chorar por reprovar numa disciplina até a mais sincera emoção de estar dentro do campo.

Laiza da costa Silva - cursando graduação no curso de Zootecnia UFRR.

A esperança acima das adversidades

Desde pequena idealizava que minha futura profissão envolvesse de alguma forma a paixão pelos animais. Em 2014 ingressei no curso técnico em Zootecnia através do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Assim foi possível conhecer mais de perto a profissão. No ano de 2016 fui aprovada no curso de Zootecnia na Universidade Federal de Roraima. Desde o ingresso na graduação a minha vida mudou completamente, começando pela rotina. A universidade passou a ser minha segunda casa. Nela construí amizades que levarei para o resto da vida, conheci professores que não medem esforços para garantir que o conhecimento chegue a todos os estudantes e, finalmente, realizei o sonho de concluir um curso superior em uma universidade de qualidade.
O curso de Zootecnia, além de me proporcionar um conhecimento técnico amplo nas mais de 300 áreas de atuação do profissional zootecnista, me possibilitou ingressar no mercado de trabalho mais preparada. Isso graças aos seus programas educacionais, como o PET (Programa de Educação Tutorial), do qual fiz parte por mais de quatro anos e que possibilita aos seus integrantes o desenvolvimento de habilidades fundamentais para o sucesso acadêmico e profissional.
Minha trajetória na graduação foi cheia de desafios, como é para a maioria dos estudantes. Driblamos as dificuldades, sejam financeiras ou emocionais, em busca de um futuro melhor para nós e aqueles que amamos. Embora houvesse dias mais difíceis que outros, a esperança e o desejo de mudar de vida superou todas as adversidades. Todos temos nossas batalhas internas, todos abdicamos de algo, mas temos um sonho em comum: sermos graduados e poder mudar o rumo de nossas vidas. E isso depende do quanto estamos dispostos a lutar pelos nossos objetivos. Acredito que por ter tido um ensino de qualidade, pelo meu comprometimento e empenho dedicado durante a graduação, logo após a formação consegui me inserir com facilidade no mercado de trabalho. Um dia após a colação de grau tive minha primeira oportunidade de trabalho para atuar no ramo comercial e técnico de produtos para a Avicultura de Postura. Abracei essa oportunidade e tenho me dedicado à área. Iniciei a pós-graduação (lato sensu) em Avicultura de Corte e Postura com o objetivo de aprofundar meus conhecimentos e direcionar o meu foco. Durante a formação nunca deixei de participar de cursos, eventos técnicos e de diversas outras oportunidades de adquirir conhecimento. Neste dia 13 de maio, data tão especial para a nossa profissão, gostaria de dizer aos colegas zootecnistas e estudantes que, por mais árduo que o caminho possa ser, no fim tudo irá valer a pena.
Aos que estão trilhando o caminho da graduação, o quão comprometido você está com a sua formação será fundamental para o profissional que você se tornará. Aproveite as oportunidades que a universidade pode te oferecer, aprecie o tempo e a dedicação de seus mestres e aprenda com eles. Eles são verdadeiros guerreiros, se esforçam diariamente para que você seja a mudança no mundo. Aos meus colegas zootecnistas, nunca deixem de lutar e acreditar na nossa profissão, nós somos os profissionais que alimentam o mundo, sempre com respeito ao meio ambiente, garantindo o bem-estar dos animais e levando à mesa de cada brasileiro alimentos seguros e de qualidade. O agro nunca para e a Zootecnia também não!

Ingrid Lemos Soares – Graduada em Zootecnia pela Universidade Federal de Roraima.

registrado em:
Fim do conteúdo da página