Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser! Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Dia do Engenheiro eletricista é comemorado nesta terça-feira

Publicado: Terça, 23 Novembro 2021 08:00 | Última Atualização: Terça, 16 Novembro 2021 13:56

Nesta terça-feira (23/11) é celebrado o Dia do Engenheiro Eletricista, uma profissão essencial na sociedade. Atualmente, é difícil imaginar a vida sem a ação da Engenharia Elétrica, o que vai desde fazer uma ligação pelo celular à criação de hidrelétricas, usinas eólicas e solares.
Na Universidade Federal de Roraima (UFRR) o curso de graduação em Engenharia Elétrica foi implementado em 2014. Atualmente, conta com 200 graduandos e já formou 41 engenheiros eletricistas. Com duração de cinco anos, atualmente é composto por um corpo docente de 10 professores, sendo cinco doutores e cinco mestres.
Segundo o professor Raone Guimarães Barros, do Departamento de Engenharia Elétrica (DEE), o papel do engenheiro eletricista é aplicar as leis da física para dominar a eletricidade, o magnetismo e os fenômenos eletromagnéticos e assim desenvolver produtos e serviços em benefício da humanidade. Ele pode atuar nas áreas de eletrônica, telecomunicações, automação e sistemas de energia elétrica.
Conforme o docente, o curso de Engenharia Elétrica tem contribuído para o desenvolvimento da sociedade roraimense ao formar profissionais capazes de planejar, supervisionar, coordenar e executar projetos na área, atendendo às diversas demandas para o desenvolvimento energético e econômico do Estado.
“Uma prova disso é a contratação de egressos do curso nas empresas que, em 2019, venceram o leilão realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para a geração de energia alternativa aqui no Estado de Roraima. Tenho conhecimento de egressos que foram contratados pela empresa Eneva e outros que atuam nas empresas que vieram construir os parques industriais das demais empresas que venceram o referido leilão”, disse.
Quanto aos desafios enfrentados atualmente pelo engenheiro eletricista, o professor citou que o profissional que atua na área de sistemas de energia elétrica viu uma mudança brusca na demanda de energia elétrica dos consumidores, em virtude da pandemia da Covid-19.
“Diante disso, fez-se necessário reconhecer novos problemas e formular soluções. A iniciativa, criatividade, vontade de aprender, flexibilidade às novas mudanças foram características observadas nos engenheiros eletricistas, que melhor se adaptaram às novas situações e aos impactos das complexas transformações tecnológicas e sociais em virtude desse período”, comentou.

Trilhando novos caminhos – Cursando o 4° semestre de Engenharia Elétrica na UFRR, Vinicius Almeida conta que sempre teve afinidade por disciplinas de exatas e essa característica foi essencial na hora de decidir qual profissão escolheria no futuro.
“Até o momento, tenho boas expectativas em relação à minha futura profissão de engenheiro eletricista. Apesar das dificuldades ao longo do curso, enxergo com otimismo o futuro exercício na profissão”, afirmou.

Paixão pela profissão – Egresso de 2016, Marcus Vinicius Campos da Costa é um dos engenheiros eletricistas formados pela UFRR. Ele afirma que o interesse surgiu em razão da afinidade com a matemática e a física, mas com o tempo foi se apaixonando cada vez mais pelo curso.
Como engenheiro eletricista de um órgão público, Marcus relembra alguns dos desafios enfrentados na profissão.
“Depois de formado descobri que a profissão tem bem menos física e matemática do que se imagina. O conhecimento de determinadas leis, resoluções, normas técnicas e profissionais são fundamentais para uma atuação correta do engenheiro. Também é necessário saber utilizar de diversos softwares e sempre se atualizar sobre o avanço das tecnologias, assim como ter habilidades de gestão de tempo e saber trabalhar em equipe sob pressão”, constatou.
Em relação ao futuro da profissão, Marcus acredita que haverá muitas oportunidades para o engenheiro eletricista, principalmente devido aos diversos avanços tecnológicos.
“Uma vez que a área de atuação da Engenharia Elétrica engloba tecnologias que estão em expansão no momento, como energias renováveis, carros elétricos, automação, a quantidade de oportunidades para a profissão tende a crescer. Além disso, com a maior utilização de energia elétrica ano após ano é de se esperar que setores de geração, transmissão e distribuição de energia também necessitem de mais profissionais”, cita.

registrado em:
Fim do conteúdo da página