Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Comissão do MEC dá nota 4 ao curso de Licenciatura Intercultural da UFRR

Publicado: Quinta, 10 de Outubro de 2019, 20h56 | Última atualização em Quinta, 10 de Outubro de 2019, 20h56

O curso de Licenciatura Intercultural, ofertado pelo Instituto Insikiran de Formação Superior Indígena da Universidade Federal de Roraima (UFRR), com habilitação em ciências sociais, obteve nota 4 pela Comissão de Avaliação do MEC, que teve sua primeira avaliação e reconhecimento no ano de 2011.

São ofertas 60 vagas por ano, para a área Básica de ingresso do curso de Licenciatura Intercultural, sendo que no terceiro ano do curso, ou seja, no quinto semestre, o estudante faz a escolha por uma das 20 vagas ofertadas para cada uma das áreas de habilitação: Ciências Sociais, Ciências da Natureza, e, Comunicação e Artes.

O curso é ofertado em regime modular, em dois tempos anuais, geralmente realizados nos meses de janeiro a março e julho a setembro, em 36 dias ininterruptos em cada etapa, com dedicação integral do aluno às atividades, distribuídas nos turnos matutino e vespertino.

O arranjo pedagógico do processo formativo, permite destacar a sua divisão em “temas contextuais”, correspondentes, cada um, a 18 dias intensivos de atividades. Além destes momentos, o curso concretiza o processo formativo com a oferta do seminário de encerramento da etapa presencial, além da prática de pesquisa e encontro pedagógico de cada semestre, para totalizar a carga horária semestral.

A carga horária total do curso é de 3.952 horas, desenvolvidas em 9 semestres letivos, com um tempo mínimo de integralização de 4 anos, ou 8 semestres e máximo de 5 anos, ou 10 semestres que prevê como metodologia o Sistema Multipresencial, composto dos seguintes procedimentos:

  1. Período de formação na UFRR: durante os períodos de recesso do calendário escolar nas escolas indígenas, são trabalhados na UFRR, conteúdos curriculares e orientações sobre pesquisa e estudo; b) Acompanhamento Pedagógico na comunidade:
  2. Os professores e coordenadores do Curso desenvolvem atividades de orientações sobre o material de estudo;
  3. c) Acompanhamento permanente: a partir de encontros programados com os professores e lideranças indígenas nos centros regionais, as visitas são realizadas com o objetivo de trocar conhecimentos, dirimir dúvidas, acentuar orientações sobre as formas de estudo e realização de avaliações. Também são agendadas visitas programadas à sede do curso, em Boa Vista, quando a coordenadora pedagógica e os professores formadores atendem aos alunos do curso;
  4. d) Atividades extracurriculares: são realizadas oficinas pedagógicas, visando suprir as necessidades que não foram contempladas pelas matrizes teórico-práticas: cursos de redação em língua portuguesa e língua materna, informática, etc; e, e) Acompanhamento da prática pedagógica: acompanhar a prática pedagógica dos professores cursistas e a reflexão que a acompanha, são aspectos fundamentais na metodologia do curso.
registrado em:
Fim do conteúdo da página