linha top1
Universidade Federal de Roraima

Texto da Semana - 04/05/20 - Profa. Dra. Fernanda Wilhelm

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


REFLEXÕES SOBRE A PANDEMIA COVID-19 E ESTRATÉGIAS INDIVIDUAIS PARA PROMOVER O BEM-ESTAR E MINIMIZAR O ESTRESSE SOB O ENFOQUE DA PSICOLOGIA POSITIVA

Fernanda Ax Wilhelm
Curso de Psicologia, Universidade Federal de Roraima

          O objetivo deste texto é analisar algumas estratégias individuais para promover bem-estar que possam contribuir para lidar com diferentes sentimentos vivenciados no momento atual frente a pandemia e ao distanciamento social, sob o enfoque da Psicologia Positiva. Inicialmente é relevante destacar que a pandemia causada pelo COVID-19 constitui uma crise grave que está afetando diversos países de diferentes formas. Na atualidade, vivenciamos um isolamento que nos foi imposto, sem qualquer planejamento, em que pessoas, estudantes, trabalhadores, gestores e governantes não tiveram oportunidades de treinamento para lidar com as inúmeras especificidades vivenciadas no cotidiano, influenciadas também por aspectos como características e repercussões singulares de cada contexto geográfico. Muitas repercussões do período da quarentena são diversas e fora de nosso controle, decorrentes do medo e da percepção de risco, como por exemplo, o longo período de quarentena; isolamento social; perda da liberdade; medo de ser infectado ou infectar outras pessoas; frustração; tédio; falta de suprimentos; informações inadequadas sobre a doença; ocorrência de demissões; a situação peculiar de trabalhadores autônomos e de trabalhadores informais; restrição financeira, entre outras.
          Assim, na ausência de um repertório inicial de comportamentos para lidar com inúmeras situações e sentimentos durante o isolamento social, em geral, as pessoas estão percebendo este momento como incerto, delicado, demorado e desafiador. Portanto, considerando todos os impactos, especialmente os impactos psicológicos, este texto tem a finalidade de tentar contribuir para refletir sobre estratégias individuais, ao incentivar comportamentos de reiventar-se, no sentido de amenizar os impactos nocivos a partir da contribuição da Psicologia Positiva, uma área da ciência psicológica com foco em aspectos positivos de pessoas e de instituições que busca melhorar a qualidade de vida e promover o desenvolvimento das virtudes e das potencialidades humanas para uma vida mais satisfatória, saudável e com mais sentido.
          Alguns conceitos, nesta perspectiva, são interessantes para vivenciar este momento. Por exemplo, o conceito de resiliência refere-se a padrões de adaptação positiva diante da ocorrência de adversidades ou riscos significativos para o desenvolvimento pleno que podem contribuir para promover saúde mental, apesar da exposição a estas adversidades psicológicas ou físicas e posteriormente 'seguir adiante' com uma expectativa positiva do futuro. Historicamente, crises e problemas podem ser percebidos como desafios e oportunidades para novas aprendizagens, por exemplo, realizar atividades remotas (com recursos tecnológicos e virtuais); ter abertura às novas experiências (cozinhar; assistir 'lives'; conectar-se virtualmente com familiares e amigos, entre outras); ser oportunidade para crescimento pessoal e nos tornarmos psicologicamente mais fortes.
          Outro construto, a criatividade, nestas circunstâncias, torna-se essencial para superar os momentos de crise e de mudanças como uma força de saúde mental, de otimismo e de esperança para dias melhores. Também, é importante desenvolver emoções positivas que contribuem para a produção de dopamina e serotonina que são neurotransmissores responsáveis pelas sensações de felicidade e de bem-estar bem como para ampliar os recursos físicos, pessoais e emocionais que favorecem a qualidade dos pensamentos, das reflexões e dos relacionamentos. Pode ocorrer uma tendência de praticar atividades físicas regulares com criatividade em sua residência, ter abertura para novas experiências e melhorar a utilização de estratégias de enfrentamento de estresse mais adequadas e saudáveis.
          Torna-se relevante ressaltar que as emoções negativas, como por exemplo, a raiva, a tristeza e o medo têm efeitos chamados de tóxicos e podem prejudicar a saúde. Algumas ações podem ser relevantes como evitar exposição, especialmente por longo período, a noticiários na televisão e a leitura de notícias com grande quantidade de informações em redes sociais sem filtrar as fake news que tendem a se propagar mais rapidamente do que as notícias de fontes autênticas (que podem, em algumas situações, reduzir o estresse e a ansiedade) e de boas notícias como, por exemplo, relatar o número de pessoas curadas.
          Assim, vivenciar mais emoções positivas, como por exemplo, o amor, a alegria e a felicidade do que emoções negativas pode possibilitar a sensação de bem-estar e minimizar os efeitos negativos do estresse. Perceber o momento também com aspectos positivos como a possibilidade de passar mais tempo consigo mesmo e refletir sobre novas estratégias para a autorrealização (encontrando novos hobbies, novas habilidades, novas metas ou atividades que tragam satisfação ou desafios) bem como a oportunidade de estar mais junto com familiares e/ou retomar o contato com amigos e familiares distantes com o aprendizado de novos recursos.
          A gratidão constitui uma emoção positiva que pode ser praticada no isolamento. Ter gratidão por diversos motivos como ter saúde, a saúde dos familiares e dos amigos, por dispor de recursos estruturais que permitem cumprir o isolamento, de modo a cuidar de si e cuidar do outro constituem exemplos. Pense sobre você: Quais as situações de sua vida e de seus relacionamentos que você é grato? É possível desenvolver práticas de gratidão. Segue a seguinte proposta para você: escreva uma carta, uma mensagem ou uma frase de gratidão para quem você se sente grato ou se sentiu grato em algum momento difícil e envie para essa pessoa utilizando algum recurso virtual (e-mail, redes sociais, entre outras). Este exercício de compartilhamento de emoções positivas não será benéfico somente a você mas será fonte de emoções positivas para a pessoa que receber sua mensagem de gratidão.
          Por último, outra estratégia pode ser a meditação (mindfulness) que constitui uma prática que possibilita produzir efeitos no bem-estar, controlar a auto-percepção do mundo e eventos ao seu redor, as experiências em si e desenvolver a atenção plena. A atividade de meditação pode ser feita no cotidiano utilizando o recurso de ouvir músicas (fique atento ao volume e tempo de exposição ao fone de ouvido). Miriam Rodrigues, psicóloga e idealizadora da Educação Emocional Positiva (Programa psicoeducacional de competências socioemocionais e habilidades para o bem-estar), relata um estudo, realizado pelo laboratório britânico Mind Lab, que revela que a ansiedade pode ser reduzida ouvindo certas músicas sugerindo uma playlist “da felicidade”! A seguir as músicas para você escutar e relaxar:

1- Weighless - Marconi Union
2- Electra - Airstream
3- Mellomaniac - Chill Out Mix (Dj Shah)
4- Watermark - Enya
5- Strawberry Swing - Coldplay
6- Please Don't Go - Barcelona
7- Pure Shores - All Saints
8- Someone Like You - Adele
9- Canzonetta Sull'aria - Mozart
10- We Can Fly - Café Del Mar

          Para concluir, estas são algumas estratégias para promover momentos de bem-estar, construir soluções práticas e possíveis para que você possa aproveitar este momento incerto e difícil como uma oportunidade de crescimento, de aprendizado e de superação, fortalecendo sua resiliência diante dos obstáculos e dificuldades. Assim, este texto e a sugestão de leitura do artigo científico utilizado como referência, não obrigatória, para aprofundar o que foi abordado no texto constitui uma tentativa de acolhimento virtual para colaborar na reflexão sobre buscar vivenciar momentos positivos durante a quarentena.

Referência

ZANON, C.; DELLAZANA-ZANON, L.L.; WESCHLER, S.M.; FABRETTI, R.R.; ROCHA, K.N. da. COVID-19: Implicações e aplicações da Psicologia Positiva em tempos de pandemia COVID-19 e a Psicologia Positiva. Scielo Preprints. Abril, 2020.