Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

UFRR instala postes solares como ação de desenvolvimento sustentável

Publicado: Terça, 23 de Setembro de 2014, 08h25 | Última atualização em Sexta, 24 de Julho de 2015, 20h11

A Universidade Federal de Roraima (UFRR) instalou, de forma experimental, cinco postes solares, que produzem energia limpa, renovável e gratuita. Os novos equipamentos de iluminação estão localizados próximos ao Diretório Central dos Estudantes (DCE) e à Residência Universitária da UFRR, campus Paricarana.

Após a fase de testes, serão implantadas mais 25 unidades nos campi Paricarana, Cauamé e Murupu. “A nossa meta é que toda a iluminação dos campi seja feita com postes solares. Pretendemos nos tornar referência no Estado, estimulando que outros órgãos também invistam na energia solar”, salientou o pró-reitor de Infraestrutura da UFRR, Joel Moizinho.

A ação integra o Plano de Logística Sustentável (PLS) que prevê o desenvolvimento de estudos e ações que viabilizem a geração de energia alternativa nos três campi da Universidade.

Benefícios - Os postes solares funcionam de forma totalmente autônoma, sem necessidade de fios ou acesso à energia da rede elétrica. O produto tem alta qualidade e evita custos com reparos. A manutenção será feita periodicamente.

Roraima é o Estado mais setentrional do país, cortado pela Linha o Equador. Essa localização favorece a utilização da energia solar, pois a região recebe raios solares durante todo o ano de forma direta.

Outras ações – A sustentabilidade é um assunto em constante debate na UFRR, que também executa ações como reaproveitamento de materiais de construção; incentivo ao uso de madeira certificada; uso de mão-de-obra local; arborização dos campi; campanhas de redução de consumo de energia.

Outra importante ação é o uso de água de poços artesianos dos campi. Os reservatórios subterrâneos geralmente têm uma água bastante limpa devido à filtração natural que ela sofre ao escorrer pelo solo poroso. Com isso, a UFRR não paga conta de água, reduzindo os gastos.

A Universidade está estudando a implantação de cisternas para captar a água da chuva. O objetivo é utilizar essa água na irrigação de praças e jardins da instituição.

A Universidade incentiva ainda a pesquisa acadêmica de novas tecnologias que possibilitem o consumo sustentável. “Além da energia solar, sugerimos, por exemplo, que nossos alunos de Física e Engenharia Elétrica estudem a energia eólica, para que possamos implementá-la futuramente”, disse o pró-reitor Joel Moizinho.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página