linha top1
Universidade Federal de Roraima

Planeta Terra


O nosso planeta (Fig. 1) deveria chamar-se Água e não Terra, pois 3/4 de sua superfície são cobertos por massas de água. Para se ter uma ideia, se todo o solo da crosta fosse reunido e aplainado, ele ainda seria encoberto por mares com 400 metros de altura.
 


Figura 1: Planeta Terra

 

Diante de tudo isso, como poder explicar que a partir de uma massa rochosa, a Terra evoluiu até um planeta vivo, com continentes, oceanos e uma atmosfera? A resposta reside na diferenciação: a transformação de blocos aleatórios de matéria primordial num corpo cujo interior é dividido em camadas concêntricas, que diferem umas das outras.


Embora a Terra provavelmente tenha iniciado como uma mistura não-segregada de planetesimais e outros remanescentes da nebulosa, ela não manteve essa forma durante muito tempo. Há 4,6 bilhões de anos, um objeto aproximadamente do tamanho de Marte atingiu a Terra. O impacto criou uma chuva de detritos tanto da Terra como do corpo impactante, que se propalou para o espaço. A Terra teria se reconstituído como um corpo em grande parte fundido. Esse monumental impacto acelerou a velocidade de rotação da Terra que mudou seu eixo rotacional, golpeando-o da posição vertical em relação ao plano orbital da Terra para sua atual inclinação de 23º.


Esta colisão, possibilitou que uma certa quantidade de dejetos incandescentes se misturassem com o material expelido pelo corpo. A porção da mistura que se manteve em órbita veio a formar a Lua. Esta ideia ocorreu após análises das rochas lunares trazidas no Projeto Apollo. Isso explica o fato de as proporções dos isótopos do oxigênio O16, O17 e O18 serem idênticas na Terra e na Lua.  Nossa Lua torna a Terra um planeta mais habitável, moderando a oscilação do nosso planeta em seu eixo, levando a um clima relativamente estável, e criando um ritmo que tem guiado os humanos por milhares de anos.

 
Camadas da Terra

Como resultado do gigantesco impacto de um objeto aproximadamente do tamanho de Marte ter atingido a Terra, cerca de 30 a 65% da Terra fundiram-se, formando uma camada externa de centenas de quilômetros de espessura, a qual chamaram de “oceano de lava” (rocha derretida). Da mesma forma, o interior aqueceu-se até um estado "leve" (menos denso), no qual seus componentes podiam mover-se de um lado para outro. O material pesado mergulhou para o interior para tomar-se o núcleo e o material mais leve flutuou para a superfície e formou a crosta. A emersão do material mais leve carregou consigo calor interno para a superfície, de onde ele poderia irradiar-se para o espaço. Dessa forma, a Terra resfriou-se e grande parte dela solidificou-se e foi transformada em um planeta diferenciado ou zoneado em três camadas principais: núcleo (interno e externo), manto e crosta.

Núcleo: O núcleo da Terra (Fig. 2) é formado por rochas e por uma liga metálica constituída principalmente de ferro e níquel a uma temperatura por volta de 3500ºC. O ferro, que é mais denso que a maioria dos outros elementos, correspondia a cerca de um terço do material do planeta primitivo. O ferro e outros elementos pesados, como o níquel, mergulharam para formar o núcleo central. Os cientistas consideram que o núcleo, o qual começa numa profundidade de cerca de 2.900 km, é líquido na parte externa, mas sólido numa região chamada de núcleo central, que se estende desde uma profundidade de cerca de 5.200 km até o centro da Terra, a cerca de 6.400 km. O núcleo interno é sólido porque a pressão no centro é muito alta para o ferro fundir-se (a temperatura em que qualquer material se funde eleva-se com o aumento da pressão).

Manto: O Manto da Terra (Fig. 2) está localizado entre o núcleo e a crosta, é uma região que forma a maior parte da Terra sólida. O manto é o material deixado na zona intermediária depois que grande quantidade da matéria pesada afundou e a matéria mais leve emergiu. O manto abrange profundidades que vão desde 40 até 2.900 km. Ele consiste em rochas com densidade intermediária, em sua maioria compostos de oxigênio com magnésio, ferro e silício. Possui duas regiões bem definidas, denominadas “manto superior” e “manto inferior”.

Crosta: A crosta terrestre (Fig. 2) fica acima do manto. É constituída principalmente por silício e alumínio. As extensas porções de água - a hidrosfera - isolam regiões mais elevadas da crosta, formando os continentes.




Figura 2: Camadas da Terra.

 

 
Bibliografia Consultada:
A Terra e a formação da Lua. Biblioteca da Floresta Marina Silva. Acre.Disponível <http://www.bibliotecadafloresta.ac.gov.br/biblioteca/docs_expo/TerraLua.pdf> acessado 23 de novembro de 2012, às 20h e 26min.
PRESS, F.; GR OTZINGER, J.; SIERVER, R.; JORDAN, T. H. Para entender a Terra. 4ª ed. Porto Alegre: Bookam, 2006.
TEIXEIRA, W.; FAIRCHILD, T. R.; TOLEDO, M. C. M.; TAIOLI, F. Decifrando a Terra. 2ª ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2009.

Referências eletrônicas das figuras:
Figura 1: http://www.bibliotecadafloresta.ac.gov.br/biblioteca/docs_expo/TerraLua.pdf, acessado 23 de novembro de 2012, às 20h e 26min.