linha top1
Universidade Federal de Roraima

Tafonomia

 

A formação dos fósseis está associada a uma série de acontecimentos biológicos e geológicos iniciados com a morte de um organismo. Sucede-se então um conjunto de eventos, como a necrólise, desarticulação, transporte e soterramentos dos restos, até a ocorrência final dos processos físico-químicos que transformam os sedimentos em rocha e fossilizam os organismos nela depositados. A área da paleontologia que se ocupa em desvendar todos os processos acima mencionados é a Tafonomia.


O termo tafonomia (origem grega: tafos = sepultamento; nomos = leis) dedica-se ao estudo dos processos de preservação dos restos orgânicos no registro sedimentar e como esses processos afetam as informações  no fóssil. Pode-se dividir o processo tafônomico em duas etapas. Uma fase curta que vai da morte dos organismos até o seu sepultamento em sedimentos, chamada de Bioestratinomia. E a outra fase, um pouco mais longa, denominda de Diagênese dos fósseis ou Fossildiagêneses, que tem início com o fim do sepultamento e se estende até a coleta dos seus restos  ou vestígios deixados pelo mesmo.