Governo Federal

Justificativa do apoio

A UFRR é uma instituição jovem (1989) que acompanha a própria criação do Estado e Roraima, localiza-se na região fronteiriça que envolve a República Cooperativista da Guiana e República Bolivariana de Venezuela. Ao longo desses 28 anos de existência tem respondido as demandas sociais no cenário regional, além de sua internacionalização. Dentro dessas demandas sociais foi criado em 2001, o Núcleo Insikiran de Formação Superior Indígena - Insikiran, com a oferta do Curso de Licenciatura Intercultural na formação de professores indígenas com 720 ingressos ao longo desses anos, tendo formado 315 professores indígenas em nível superior. Com o passar dos anos outras demandas dos movimentos indígenas de Roraima chegaram à universidade, a exemplo da criação dos Cursos de Bacharelados, o de Gestão Territorial Indígena (2009) e o de Gestão em Saúde Coletiva Indígena (2012), isso no contexto das políticas específicas no âmbito do direito à diferença, totalizando aproximadamente 700 alunos regularmente matriculados no Insikiran. Recentemente foi a realizada a III Semana dos Povos Indígenas da UFRR, resultado de um esforço coletivo para reunir, e apresentar a toda a sociedade roraimense, o pensamento e a produção artística, científica e cultural dos indígenas. Esta edição foi trabalhado o tema A Formação Intercultural de Indígenas no Contexto da Universidade. Tema este que traz a reflexão de como a formação intercultural vem sendo pensada na educação superior, seja no contexto do Insikiran ou nos demais cursos da UFRR, levando-se em conta a função social da universidade nas demandas sociais e políticas da região amazônica. Outro aspecto neste contexto de relevante apoio por parte da Capes é que em Roraima não tem Agência de Fomento à Pesquisa. Portanto, o apoio financeiro da Capes via Edital 35/2017 do PAEP é de grande valia para o desenvolvimento e execução do evento em virtude da sua relevância social, acadêmica e científica para a graduação e pós-graduação.

Contribuição para os profissionais envolvidos no evento

O Seminário Internacional envolverá estudantes de graduação e pós-graduação, professores da educação básica de escolas indígenas, do campo e também do contexto urbano interessado na temática, pesquisadores e professores das instituições de ensino superior do Brasil, e também dos países fronteiriços, principalmente, da Venezuela e Guiana, e público em geral que se interessa pela temática da educação intercultural numa perspectiva de atingirmos diretamente 1.200 pessoas durante a realização do evento. Destaca-se que em Roraima a Pós-graduação nas instituições de ensinos superiores é bem recente, dando-se a partir da formação de doutores que são qualificados e ingressam nas IESs. Pode-se destacar os Programas de Pós-graduação em Educação na Universidade do Estado de Roraima – UERR e os da UFRR em Letras, Sociedade e Fronteiras, Antropologia Social e Desenvolvimento Regional da Amazônia, entre outros, sendo também um espaço de socialização de estudos e intercâmbios, sendo a proposta do seminário na disseminação das pesquisas científicas em diálogo permanente com os saberes das populações indígenas. Com isso, o Seminário pretende ser um novo marco na formação de profissionais no contexto da educação intercultural bilíngue a partir das experi6encias em cursos nos países fronteiriços, a exemplo do Brasil e Venezuela.

Finalidade do evento

O evento tem a finalidade de promover um debate sobre a educação intercultural bilíngue  em contextos transfronteiriços em âmbito internacional com o protagonismo de estudantes indígenas de graduação e pós-graduação, pesquisadores, professores formadores, mestres indígenas de diferentes etnias que compõem a morfologia étnico-cultural de Roraima, como Macuxi, Wapichana, Taurepang, Ingaricó, WaiWai, Patamona, Sapará, Yanomami e Ye’kuana com aproximadamente 50 mil pessoas (Censo IBGE, 2010), além dos povos indígenas dos países fronteiriços República Bolivariana de Venezuela, a exemplo dos Pemón e República Cooperativista da Guiana numa perspectiva de relações e diálogos interculturais.

O evento vai debater a formação intercultural no contexto da educação superior, seja no âmbito do Instituto Insikiran de Ensino Superior Indígena ou nos demais cursos da UFRR, levando-se em conta a função social da universidade nas demandas sociais e políticas da região amazônica. 

O evento teve projeto aprovado no edital do Programa de Apoio a Eventos no País (PAEP/2017), vinculado à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

A proposta tem como objetivos principais:

1) divulgar a produção científica e acadêmica de estudantes e professores indígenas;

2) divulgar a produção artístico-cultural dos povos indígenas;

3) identificar demandas nas várias áreas de interesse dos povos indígenas na Pan-amazônia;

4) promover a socialização de saberes e fazeres indígenas e sua inserção no contexto global da sustentabilidade;

5) propiciar o intercâmbio entre povos e culturas do espaço fronteiriço da Pan-Amazônia entre as diversas instituições de ensino e pesquisa científica;

6) fortalecer os programas de pós-graduação da UFRR;

7) incentivar os processos e diálogos interculturais no âmbito da UFRR e Universidades da Venezuela, Guiana, Suriname, entre outras. Com isso fortalecendo uma REDE de educação intercultural na Pan-Amazônia nos processos de formação de indígenas no contexto da educação superior, além de estreitar as relações entre as instituições de ensino e pesquisa no fortalecimento da pós-graduação.

História de eventos anteriores

I Seminário Internacional de Educação Intercultural Bilíngue com o tema “Desafios na formação de indígenas em contextos transfronteiriços” é um desdobramento do I Encuentro Internacional de Educación Intercultural Bilíngue en la Frontera Brasil y Venezuela, realizado no dia 24/06/2017 na Universidade Federal de Roraima – UFRR, em Boa Vista, Roraima com a participação da turma de mestrandos que estudam na Universidade Pedagógica Experimental Liberadora - UPEL, Venezuela, envolvendo os professores formadores dos Cursos de Licenciatura Intercultural do Instituto Insikiran de Formação Superior Indígena e Relações Internacionais do Centro de Ciências Humanas da UFRR e professores da UPEL. Este evento surgiu a partir do componente curricular “Espaços Fronteiriços” no contexto Educação Intercultural da UPEL, envolvendo os mestrandos indígenas e não indígenas brasileiros estudam nessa instituição. Destaca-se que durante o evento algumas temáticas foram discutidas, a seguir: a) a formação continuada de professores indígenas: a transfronteirização; b) Educação intercultural bilíngue; c) As relações internacionais universitárias em área de fronteiras. Ressalte-se que durante os debates foi proposto um Termo de Cooperação Técnica entre UPEL e UFRR com vistas a criar uma rede de ensino e pesquisa na Pan-Amazônia. Outro aspecto relevante nos debates é envolver pesquisadores e estudiosos e estudantes indígenas de graduação e pós-graduação de universidades, a exemplo de Instituições de Ensino Superior do Brasil que ofertam cursos específicos para a formação de indígenas, tais como: Universidade Federal do Amazonas – UFAM, Universidade do Estado do Amazonas, Universidade Federal do Acre/Campus do Floresta, Universidade Federal de Rondônia/Campus Ji-Paraná, Universidade Federal do Amapá/Campus Binacional, Universidade do Estado do Pará, entre outras, além das universidades fronteiriças como University of Guyana – UA e UPEL, Venezuela, entre outras.

REALIZAÇÃO:
Logo Insikiran
Logo UFRR
LOGO NUSHA
APOIO:
Logo Apoio
PATROCÍNIO:
Logo Patrocínio