Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Ranking ENEM/2018 – Colégio de Aplicação conquista primeira colocação em Roraima

Publicado: Sexta, 28 de Junho de 2019, 15h03 | Acessos: 880

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Roraima (CAp/UFRR) foi considerado a melhor escola do estado de Roraima, conforme o ranking de notas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM/2018) produzido pelo site Folha e disponível no link. Dezenove escolas do Estado foram analisadas.

Para chegar a esse ranking, os profissionais da Folha verificaram as notas médias dos estudantes nas áreas de conhecimento testada pelo Enem, como Ciências Humanas, da Natureza, Matemática, Linguagens e Redação.

A média total dos cerca de 60 estudantes do Colégio de Aplicação que participaram da prova foi 599.06 (provas objetivas) e 636.32 (redação). Em 2018 o Cap também ocupou posição de destaque, o terceiro lugar. Na época as duas primeiras colocações foram de escolas particulares de Boa Vista.

Vários fatores foram importantes para o excelente desempenho dos estudantes

Na avaliação do Coordenador Geral de Educação Básica, Wender Ferreira Lamounier, alguns fatores contribuíram para a conquista da excelente colocação, tais como a boa estrutura física do Aplicação que conta inclusive com sala de leitura, dentre outros recursos e a atenção permanente do professor em relação ao processo de aprendizagem do aluno. 

 

Os estudantes que eventualmente apresentam dificuldades para assimilação dos conteúdos podem ter aulas de reforço no horário oposto aos das outras aulas.

O corpo de docentes é outro diferencial da unidade escolar. Atualmente o Colégio conta com 60 professores e todos possuem pós-graduação (6 doutores, 25 mestres e 29 especialistas). A Instituição, que oferece do 1º ano do fundamental à 3 ª série do Ensino Médio, atende um público formado por 480 alunos.

“Buscamos dar autonomia aos docentes para que eles desenvolvam seus trabalhos da melhor forma possível, onde eles direcionam seus esforços à pesquisa e a criação de práticas e metodologias que possibilitam que os alunos sejam preparados para ter sucesso em seus projetos, serem críticos e pesquisadores. Nossos estudantes são estimulados a serem autônomos no processo do seu aprendizado. Neste aspecto, os componentes curriculares são trabalhados de modo que o material didático é um complemento e não o recurso principal”, comentou o coordenador.

Além de repassar os conteúdos didáticos, os professores preocupam-se com o bem-estar emocional dos estudantes

Sorhaya Almeida, estudante do terceiro ano do Ensino Médio, sonha e batalha por uma vaga no curso de Medicina da Universidade Federal de Roraima. A jovem de 17 anos estuda no Colégio de Aplicação (CAp) desde o sexto ano. A dedicação aos estudos é em tempo integral; além de frequentar o Cap, ela também faz curso preparatório particular e estuda em casa no período noturno. 

A estudante afirma encontrar na unidade escolar mais do que o conteúdo teórico necessário para a aprovação no Vestibular, mas também o suporte emocional tão necessário em momentos tensos como o de busca por uma vaga no ensino superior.

"Os professores promovem rodas de conversa. Eu estava exausta e o diálogo e a motivação dos professores fizeram eu voltar a ter forças para seguir”, contou.

registrado em:
Fim do conteúdo da página