Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Curso de Gestão em Saúde Coletiva Indígena recebe nota máxima do MEC

Publicado: Quinta, 07 de Dezembro de 2017, 13h20 | Acessos: 334

O curso de Gestão em Saúde Coletiva Indígena (bacharelado) da Universidade Federal de Roraima (UFRR) recebeu nota máxima na avaliação in loco com vistas ao reconhecimento por parte do Ministério da Educação. Os cursos de graduação avaliados com nota cinco são considerados cursos de excelência pelo MEC. Esta foi a primeira avaliação do curso Gestão em Saúde Coletiva.    

A cada três anos são feitas novas avaliações para renovação de reconhecimento junto ao MEC. A Pró-reitoria de Ensino e Graduação (PROEG/UFRR) esclarece que o conceito de curso é organizado em três dimensões na avaliação do MEC: 1) organização didático-pedagógica; 2) corpo docente; e 3) infraestrutura. Em todas as dimensões, o curso de Gestão de Saúde Coletiva Indígena da UFRR ficou com nota máxima.

Curso - Localizado no Instituto Insikiran de Educação Superior Indígena, no Campus Paricarana, o curso é uma das opções de graduação para os povos indígenas, que podem também escolher estudar nos cursos de Gestão Territorial ou Licenciatura Intercultural, ofertadas no Instituto Insikiran.

A assistência de saúde em atenção aos povos indígenas tornou-se uma política de Estado a partir de 1999, com dotação orçamentária no Governo Federal e, diretrizes específicas como um subsistema no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

Com a implantação do modelo de saúde indígena no Brasil foi criado trinta e quatro (34) Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), na estrutura organizacional da FUNASA como uma melhor forma de oferecer assistência aos índios.

No estado de Roraima foram criados dois distritos, o DSEI Yanomami e Ye’kuana e o DSEI Leste de Roraima. Ao longo desses anos, os DSEI enfrentaram diversos desafios e avanços com formação de mais de 300 agentes indígenas de saúde (AIS), consolidando a atuação desse profissional nas comunidades e evidenciando sua importância na Atenção Primária à Saúde e a necessidade de profissionais indígenas para o atendimento, o planejamento e a organização dos serviços de saúde.

Foi neste contexto que, em 2013, foi criado o Curso de Bacharelado de Gestão em Saúde Coletiva Indígena, vinculado ao Instituto Insikiran de Formação Superior Indígena da UFRR. O curso reúne conhecimentos necessários às práticas em saúde e formar profissionais que se tornem agentes transformadores do perfil sanitário e da consolidação de práticas mais adequadas às necessidades de saúde da população indígena.

O curso é presencial, bacharelado, integral, semestral com 3610 horas, com número de vagas autorizadas de 40 por ano, com entrada no segundo semestre, sendo duas vagas a não indígenas, todavia que comprovem atuar no âmbito do subsistema de saúde indígena.

A coordenadora é a professora Ana Paula Barbosa Alves, graduada em enfermagem, mestre em Ciências da Saúde e com experiência em docência.

Estão matriculados em TCC 39 alunos, dois alunos em projetos de pesquisa, 27 alunos em projetos de extensão, 04 alunos no Programa de Educação Tutorial (PET), 01 aluno PIBIC, 03 alunos em Programa de Extensão Universitária (ProExt), 06 alunos recebem bolsa de monitoria, e 93 recebem outras modalidades de bolsa, principalmente a bolsa permanência.

Há convênios assinados vigentes do curso com o Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomani, Rede municipal de Boa Vista, e com o Distrito Sanitário Especial Indígena Leste, locais esses de estágio para os alunos.

registrado em:
Fim do conteúdo da página